Homenagem a Paulo Jazz


janeiro 05, 2021

Luanda - A jornada alusiva ao dia Nacional da Cultura, que se assinala a 8 de Janeiro, teve início hoje, segunda-feira, com uma exposição de artes plásticas, presenciada pelo ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato.

Denominada “Plasticidades anti-covid 19: um tributo ao artista plástico Paulo Jazz”, a mostra reúne trabalhos de mais de 20 fazedores de arte, com prestígio nacional e internacional.

Aberta ao público no Salão Internacional de Exposições (Siexpo), no Museu Nacional de História Natural, o evento  contou com o apoio da seguradora ENSA e de coleccionadores particulares.

Ao intervir no acto, o ministro Jomo Fortunato reafirmou a estratégia do sector em redinamizar o espaço (Siexpo), bem como a de criação de um Conselho de Curadores, para que se efective uma agenda regular de exposições ao longo do ano.

De acordo com o governante, esta mostra retrospectiva, que reúne obras de pintura, desenho, escultura, instalações e vídeo, com técnicas e materiais diversificados, de consagrados artistas plásticos angolanos, só foi possível graças à pronta colaboração da seguradora ENSA.    

Na sua óptica, os contornos estéticos desta mostra colectiva celebram os traços da simbologia cultural angolana.   

Frisou que os artistas, nesta época do covid-19, têm encontrado muitas dificuldades para trabalhar, o que se reflecte negativamente nas suas vidas, dai a necessidade de encontrar-se uma estratégia criativas para colmatar a situação.

A exposição rende, de igual modo, uma homenagem ao  artistas Paulo Jazz, falecido recentemente em Luanda, vítima de doença.

O pintor e desenhista, que está entre as principais referências e fonte de inspiração para a nova e talentosa geração de artistas angolanos, morreu  aos 63 anos.

Nascido em 1957,  na capital do país, foi membro fundador da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP), criada em Outubro de 1977, para defender os interesses dos profissionais do sector.

O Dia Nacional de Cultura foi instituído em 1986. Sete anos depois do discursos pronunciado pelo primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto, na União de Escritores Angolanos (UEA) a 8 de  Janeiro de  1979, por ocasião  da tomada de posse dos seus corpos  gerentes.

Fonte:ANGOP

Comentários(0)

Log in to comment