Cunene abre os braços ao mundo das artes


janeiro 11, 2021

Cidade de Ondjiva tem primeira galeria de artes

A cidade de Ondjiva, capital do Cunene, ganhou, na sexta-feira, a primeira galeria de artes, com a inauguração de exposições temáticas e plásticas, inseridas nos festejos das comemorações do 8 de Janeiro, Dia Nacional da Cultura.

Para além da inauguração da galeria de artes, localizada nas instalações do Gabinete Provincial da Cultura no Cu-nene, o programa do 8 de Janeiro,  que decorreu sob o lema "Somos Angola, somos cultura”, incluiu  a realização de uma homenagem aos fazedores de cultura na província.

Um total de 17 figuras e personalidades ligadas às artes e cultura, que se destacaram  na década de 1990 a 2000, foram homenageadas, pelo contributo prestado à cultura na província. "Não se trata das melhores figuras, mas apenas daqueles que se dedicaram e proporcionaram momentos inesquecível à população da província do Cunene”, disse, na ocasião, o director provincial da Cultura, Turismo e Desporto, Marcelino dos Santos.

A homenagem realizada anualmente, disse, está alinhada com as acções de âmbito central que visam incentivar a classe artística nesta empreitada. Para Marcelino dos Santos, a cultura deve estar integrada no processo de desenvolvimento económico e sua gestão deve obedecer os preceitos da modernidade e dos avanços das novas tecnologias. "É importante apostar na formação e capacitação técnico-profissional dos criadores e promotores culturais, promover o ensino das artes, estimular a investigação e recuperar a cultura”.

O acto simbólico de homenagens tem como objectivo incentivar a classe a manter-se firme dentro da mesma, assim como as forças vivas das artes a continuarem a abordagem de acções necessárias para que a expressão artística no seu conjunto seja preservada e difundida.

Marcelino dos Santos apontou como grandes desafios para 2021 a adopção de um conjunto de acções práticas e concretas obedecendo aquelas que são as responsabilidades de elaboração, execução e fiscalização das acções culturais, tendo adiantado que "tudo só será possível com o esforço combinado dos distintos sectores da economia e da sociedade, assim como das fundações e, fundamentalmente, das associações culturais”.

A galeria de artes foi inaugurada pela governadora da província do Cunene, Gerdina Didalelwa, que na ocasião disse que o novo espaço de artes visa incentivar a classe artística para mais criatividade e divulgação das suas criações, permitindo a exposição dos tra-
balhos dos artistas locais.

Gerdina Didalelwa enalteceu os artistas locais que sem medir esforços tudo têm feito para o engrandecimento das artes, em particular, e da cultura, em geral, e a divulgação da identidade cultural da província, não obstante as dificuldades de vária ordem.
O governadora realçou que a classe artística da província é vasta e diversificada, com mais de 120 criadores controlados pelo Gabinete Provincial da Cultura, entre artistas plásticos, músicos, grupos de teatro e de dança, poetas e escritores.

"Devemos todos, o Governo da Província e os agentes culturais, num esforço conjugado, procurar fazer mais para as crianças e criando espaços de recreação, animação e apresentação de obras e espectáculos culturais, com vista a valorização da promoção do consumo da cultura local”, disse Gerdina Didalelwa.

  Cunene acolhe festival de dança tradicional

O Gabinete provincial da Cultura do Cunene realizará, entre Maio e Junho deste ano, a primeira edição do concurso de Dança Tradicional, com o objectivo de reactivar a arte na região.

O evento contará com 12 grupos divididos nas categorias de adulto e infantil, com os primeiros de cada classe a serem  premiados.
Em declarações à Angop, o director da Cultura do Cunene, Marcelino dos Santos, explicou que o principal objectivo é a reactivação dos grupos de dança tradicional, para o resgate e preservação dos valores culturais da região.

Disse que será desenvolvido um trabalho de sensibilização com os promotores de dança nas aldeias e criar incentivos para a reactivação e surgimento de novos grupos. Marcelino dos Santo adiantou que antes de os grupos mostrarem o seu talento na dança e música a nível provincial, vão decorrer concursos a nível municipal.

Em 2019, o Cunene participou com os grupos Elalakano, do município de Namacunde, e Ombembwa de Ombadja, no Festival regional da dança tradicional, que decorreu no Namibe, uma iniciativa do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente.

Fonte: Jornal de Angola

Comentários(0)

Log in to comment