Angola quer subir 15 posições


fevereiro 14, 2020

Até 2022, Angola pretende subir 15 lugares no 'ranking' do Doing Business, uma decisão firme para a qual conta com a ajuda do Banco Mundial, segundo o ministro da Economia e Planeamento, Sérgio Santos.

Por conta da queda no ano passado, Angola busca crescer ante as espectativas do Banco Mundial, que avalia critérios como facilidade em abrir um negócio, obter licenças de construção, registar uma propriedade, obtenção de crédito, cumprimento de contratos, pagamento de impostos ou obtenção de electricidade.

O ministro afirmou ainda, que a meta, segundo o Plano de Desenvolvimento Nacional é subir 15 posições até ao ano 2022″, e acrescentou que contam com a ajuda do Banco Mundial para perceber em que medida se podem superar as dificuldades.

Já o secretário de Estado da Economia, Mário João, salientou que o ambiente de negócios é o principal motor de tudo o que é actividade de negócios no país e será um veículo para trazer investidores para o país. Não se esqueceu de reconhecer que os investidores estão habituados a ter um ambiente simplificado nas mais variadas geografias do mundo, e que para tal, disse haver necessidade de arregaçar as mangas e estar preparados para competir com outras economias.

Por outro lado, para Olivier Lambert, representante do Banco Mundial em Angola, o objetivo ambicioso de subir no ranking vai permitir que Angola entre no mapa do mundo e atraia interesse dos investidores internacionais. E reconhece, que melhorar o ambiente de negócios é difícil, porque toca muitas instituições, processos, toda a organização do Estado, alterações que precisam de uma “coordenação e uma liderança muito forte.

Comentários(0)

Log in to comment